CXV

 

 

Match Karpov - Vescovi

CXV: O que achou do 73º Campeonato Brasileiro de Xadrez?

Giovanni Vescovi: Achei que foi o mais disputado, provavelmente o mais disputado de toda a história, porque os grandes mestres no melhor momento do xadrez brasileiro estavam participando. Foi muito importante. A presença de todos engrandeceu meu resultado.

CXV: O que foi fundamental em sua preparação para se torna novamente Campeão Brasileiro?

Giovanni Vescovi: Eu joguei como jogo em todos os outros torneios. Eu não fiz nada assim de especial. Mas eu acho que eu tive tranqüilidade nos momentos difíceis e só.

CXV: Teve uma partida que foi a sua partida difícil no Campeonato Brasileiro?

Giovanni Vescovi: Sim, evidente. É uma partida em que eu tinha uma boa posição contra o James, com a tendência de ganhar sem maiores problemas, porque eu estava pressionando bem, daí eu fiz  uma combinação longa em que parecia ganhadora. Não era ganhadora, daí, numa tentativa de continuar jogar para ganhar em lugar de empatar eu acabei furando o lance e acabei perdendo a dama. Daí eu continuei jogando só de raiva, né, mas, até terminar o primeiro controle, errando, evidentemente bastante, até o fim do controle, daí eu consegui ter chances de empate.

CXV: Qual foi a sua partida de que mais gostou?

Giovanni Vescovi: Do brasileiro?

CXV: Sim, do brasileiro.

Giovanni Vescovi: Foi a minha vitória contra o Milos. Bastante técnica, interessante.

CXV: Em alguma dessas partidas foi surpreendido?

Giovanni Vescovi: Não.

CXV: Qual foi a sua impressão do match contra Karpov?

Giovanni Vescovi: Eu estava animado. Eu não me considerava assim tão inferior, eu, claro, ele é favorito, mas eu sabia que ia ser equilibrado. A vitória na primeira partida foi muito boa, eu joguei muito bem, e daí, a derrota na segunda e terceira não foram bem recebidas. Na segunda eu tinha uma boa perspectiva mas eu tomei uma decisão equivocada de, antes de seguir o ataque na ala do rei, resolver os problemas na ala da dama, acabei perdendo tempo precioso. Daí hoje, eu, de brancas, tinha uma posição que dava para empatar mas com poouco tempo eu acabei jogando rápido e acabei fazendo lances e acabei me enrolando.




CXV:
O que achou do match Kramnik – Deep Fritz 10?

Giovanni Vescovi: Eu não acompanhei.

CXV: Viu alguma evolução significativa no modo como a máquina está jogando?

Giovanni Vescovi: Eu não acompanho.

CXV: Já jogou xadrez postal?

Giovanni Vescovi: Já. Muito tempo, não jogo mais.

CXV: O que acha da modalidade?

Giovanni Vescovi: Boa.

CXV: Por ocasião do Campeonato Brasileiro você anunciou a sua aposentadoria, que surpreendeu todo o mundo. Qual o motivo de tomar essa decisão?

Giovanni Vescovi: Eu só vou dar agora uma prioridade maior para a minha carreira jurídica. Vou continuar jogando, não que eu abandonei totalmente, eu só vou deixar de por o xadrez como a minha maior prioridade. Vou jogar mais para diversão. Minha prioridade maior é a carreira jurídica. o xadrez,

CXV: Como você avalia seus vinte anos de carreira no xadrez?

Giovanni Vescovi: Eu acho que foram bons, positivos, eu ganhei muitos títulos, eu estive entre os cem do mundo,  por cinco, quatro anos, eu cheguei a ficar entre os quarenta, eu ganhei dois torneios categoria 17, na frente do Svidler, do Gelfand, eu acho que eu tive bons resultados. Podia ter ido melhor, mas... Não dá para conseguir tudo.

CXV: Se surpreendeu com o resultado do match Topalov – Kramnik?

Giovanni Vescovi: Podia acontecer qualquer coisa.

CXV: Apostava em algum antes do match?

Giovanni Vescovi: Eu apostava no Kramnik, mas eu queria que o Topalov ganhasse.



Confira nos links abaixo.

Partidas do match. PGN.

Anatoly Karpov - Giovanni Vescovi - Rafael Leitão